Traduzir

18 novembro 2016

Deputado José Àvila questiona governo sobre o futuro da pesca do goraz

Na Assembleia Legislativa Regional dos Açores, onde decorre o debate sobre o programa do XII Governo dos Açores, o deputado José Àvila, do PS, falou sobre as pescas, em particular a pesca do goraz.
na sua intervenção, o deputado gracisoense referiu que "o sector das pescas é importante para economia dos Açores" e "dentro deste sector a pesca do Goraz é uma das mais relevantes para o rendimento dos pescadores."
Em 2015, mais de 8,6% das capturas nos Açores era desta espécie, enquanto em termos de rendimento o Goraz representava quase 23% do valor das capturas em primeira venda, sendo que "em algumas comunidades piscatórias este tipo de pesca ainda assume uma importância maior, com reflexos muito importantes na viabilidade de muitos armadores e, consequentemente, na subsistência de muitos pescadores e suas famílias". 
O deputado socialista referiu-se concretamente em relação à Graciosa, ilha em que 2015, "82,3% do valor das capturas em lota provinha do Goraz", nas "Flores era 41,3%, na Terceira mais de 36% e no Corvo o valor do Goraz representava 20,5% do valor do total das capturas."
Estas comunidades piscatórias dependem muito desta espécie e, como tal, "foram as que mais sofreram com os cortes abruptos decididos para 2015 e 2016", referiu o deputado registando ainda a sua "admiração pelos pescadores e pelas suas entidades associativas que perante este enorme constrangimento souberam procurar alternativas para minimizar os impactos negativos que se fizeram sentir."
Após a decisão do Conselho das Pescas da União Europeia  em "manter a quota do Goraz nas 507 toneladas, abandonando a proposta de novos cortes para 2017 e 2018 de 12% para cada um dos anos, José Àvila questionou o secretário do setor sobre "que impacto poderá ter a redução das capturas do alfonsim e do imperador e que "impactos poderão ocorrer nas comunidades piscatórias com a execução do Gal Pescas."

Twitter Facebook Favorites More