Traduzir

11 setembro 2019

Deputado José Ávila justifica despesa da SATA com aumento do número de voos

O deputado do PSD/Açores António Vasco Viveiros afirmou que o Governo Regional socialista “culpa sempre terceiros” e recusa responsabilidades pelos 220 milhões de prejuízos que a SATA sofreu nos últimos dez anos.
Durante uma interpelação ao executivo sobre a situação financeira da SATA, António Vasco Viveiros acrescentou que a situação da SATA é igualmente preocupante “por questões operacionais, sendo que a época alta, que ainda decorre, foi mais uma vez, um absoluto fracasso”.
O Bloco de Esquerda acusa o Governo Regional de tudo fazer para criar uma imagem pública negativa da SATA para arranjar um falso motivo para a sua privatização.
Já o PS/Açores realçou o “esforço tremendo” da SATA para satisfazer as necessidades de todas as ilhas.
O deputado José Ávila, eleito pela Graciosa referiu que “todos nós, sem exceções, andámos a pedir melhores acessibilidades para as nossas ilhas - fazemos isso há anos - e se formos ver as estatísticas, de forma séria, temos que reconhecer que da parte do Governo Regional e da parte da SATA houve um esforço tremendo para satisfazer as necessidades de cada uma das nossas ilhas”.
“E isso com os deputados a pedir mais voos, mais acessibilidades, sem nunca pensarem no lado da despesa, porque cada voo a mais, implica mais custos”, acrescentou o deputado do Grupo Parlamentar do PS/Açores, esta terça-feira, durante o Plenário, em que o tema SATA esteve, novamente, em debate.
José Avila recordou os aumentos registados: No Faial, onde se reivindicava o aumento de ligações diretas a Lisboa, a SATA passou de 303 para 323, em quatro anos. No Pico, onde se pediram mais voos no verão, as ligações passaram de 65 para 138. Em São Jorge, em 5 anos, os voos passaram de 570 para 769 e os passageiros desembarcados de 24 mil para 37 mil. Nas Flores, a oferta de voos passou de 573 para 836. Em Santa Maria, os passageiros desembarcados passaram de 30 mil para 46 mil. No Corvo, houve mais 110 voos e os passageiros desembarcados aumentaram para mil.  “Não me digam que não houve aqui um esforço da SATA”, insistiu o deputado.
Também o deputado André Rodrigues usou da palavra para sublinhar as mudanças significativas que ocorreram na companhia açoriana.
Reconhecendo a situação delicada em que a SATA se encontra, referiu a necessidade de inverter, corrigir e alterar os resultados da SATA para o bem do futuro dos Açores e afirmou que o PS está disponível para fazer tudo para atingir a sustentabilidade da empresa, tendo o Conselho de Administração a responsabilidade de prosseguir e concretizar a reestruturação financeira, operacional e da estrutura.
O Governo dos Açores e SATA trabalham diariamente para “conseguir um percurso de estabilização da empresa”, garante Ana Cunha

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas afirmou na Assembleia Legislativa, na Horta, que o Governo dos Açores assumiu o compromisso de “dotar o Grupo SATA dos instrumentos necessários ao cumprimento do seu objeto social de servir cada vez mais e melhor os Açorianos", salientando este tem sido "um dos grandes desafios desta legislatura”.

Twitter Facebook Favorites More