Traduzir

17 março 2017

Resumo semanal de 13 a 17 de Março de 2017

GAL alertam para a necessidade de desburocratização dos projetos do ProRural

A Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa acolheu a primeira reunião de 2017 dos Grupos de Ação Local (GAL) dos Açores.
Na reunião de trabalho, que decorreu durante 3 dias, estiveram reapresentadas a ARD, associação que abrange Ponta Delgada e Santa Maria, ASDREP dos concelhos de Povoação, Nordeste, Ribeira Grande, Vila Franca do Campo e Lagoa, a ADELIAÇOR que abrange Faial, Pico, São Jorge, Flores e Corvo e ainda a Grater, associação de desenvolvimento das ilhas Graciosa e Terceira.
Estas associações açorianas, parceiras do Governo Regional dos Açores no trabalho da metodologia Leader, fizeram um ponto de situação do ProRural+, sendo que no atual quadro comunitário de apoio, já foram aprovados 50 projetos, no valor global de 3 milhões de euros.
Guido Teles, Presidente da Grater, disse que das conclusões, tiradas do encontro, destaca-se a necessidade de diminuir a burocracia ligada a estes projetos, no sentido de agilizar a sua aprovação.
Outra das conclusões é de que o regime em vigor do Prorual+ necessita alterações, de forma a permitir aprovação de planos locais de promoção turística.
O Diretor Regional do Desenvolvimento Rural dos Açores participou na finalização dos trabalhos.





Deputados Graciosenses visitaram investimentos em curso na zona costeira

Os deputados do Partido Socialista da Graciosa visitaram a empreitada de Proteção e Estabilização da Zona Costeira da Barra e constataram o início das obras no mar, depois de um período de pré-fabricação dos componentes para aquele investimento.
No local, os parlamentares Graciosenses foram esclarecidos sobre os trabalhos em curso, do que consideram ser “um investimento estruturante para a Ilha Graciosa não só pela função de estabilização daquele local, mas também pelo que poderá potenciar na sua zona envolvente”.






GraciosaMotoFest confirmado para os dias 9, 10 e 11 de Junho

O MotoClub Ilha Graciosa está a organizar um Encontro Regional de Motards, a realizar na Graciosa nos dias 9, 10 e 11 de Junho.
A ideia terá surgido no encontro que decorreu em 2016, na Ilha de Santa Maria, havendo muito interesse para a participação neste evento, que se estima que poderá trazer cerca de 500 pessoas à Graciosa.





Câmara aprova apoios à Academia e PRODIB sem apoio da oposição

O Presidente da Câmara Municipal propôs um apoio de 15 mil euros à Academia Musical da Ilha Graciosa, de modo a que consiga prosseguir com as suas atividades. A proposta refere ainda que aquela instituição particular deve apresentar um relatório de atividades, que justifique as despesas relativas a este apoio.
Os vereadores do PSD pediram algumas explicações, com António Reis a perguntar qual o resultado de uma reunião com o secretário regional, tendo o presidente da câmara informado que a tutela continua a alegar a falta de condições do edifício onde funciona a AMIG para não lhe ser atribuído o paralelismo pedagógico, “existindo ainda alguma esperança que haja apoios por parte da Cultura”. O autarca afirmou ainda que “continuam com as mesmas exigências, em relação à Academia que funciona no mesmo edifício do ensino básico desde 1988 e onde já houve paralelismo pedagógico, o que não entende”.
O vereador João Cunha disse que continuam as “desculpas de mau pagador” e que os vereadores continuam com a mesma opinião em relação a este assunto e abstiveram-se na hora da votação.
Na declaração de voto, João Cunha e António Reis, justificam a abstenção por não concordarem com o pressuposto que aquela instituição recebe mais apoios do que as outras da ilha, somando nos últimos 24 meses a quantia de 75 mil euros, por o ensino da música caber ao Governo dos Açores e ainda pelo fato da Câmara Municipal não ter reunido com o Governo, tal como já havia sido pedido. Os vereadores do PSD referem, no entanto, satisfação pelo relatório bem elaborado da nova direcção da AMIG, mas acusam a Câmara e o seu presidente de não saber resolver os problemas e em vez disso “atirar dinheiro” aos problemas. Os vereadores consideram a sua abstenção “um voto de protesto ao Governo por continuar a não assumir as suas responsabilidades e ao município pelas quantias avultadas gastas neste assunto.

A transferência de verbas para a PRODIB, no valor 50 mil euros, com vista a cobrir as despesas com os espetáculos taurinos e musicais das Festas de Santo Cristo, foi aprovada pela maioria socialista, com votos contra do PSD. Os vereadores votaram contra pelo fato do relatório da associação só ter sido entregue na reunião camarária.







Horários dos transportes marítimos de passageiros continuam a não satisfazer

O tema surgiu na reunião camarária pela voz dos vereadores do PSD, João Cunha e António Reis, que lamentam o fato da ilha continuar a ser servida apenas pela Linha Amarela, ficando novamente de fora da rota da Linha Lilás, quando no ano passado houve a promessa do Diretor Regional dos Transportes de que a ilha seria integrada este ano.
Avelar Santos, presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa disse que a Linha Lilás não se concretizou, mas que os restantes horários estão de acordo com o pretendido, ou seja, assegurar viagens no período das principais festas da ilha e que as restante teriam de se adaptar, na impossibilidade de assegurar horários compatíveis com todas. O autarca deixou ainda a sua opinião de que a linha lilás devia tocar a Graciosa 2 vezes por semana, em sentido circular, tocando todas as ilhas do Grupo Central, à semelhança do que fazia o Ponta Delgada, o que devia ser experimentado por 1 ano, para averiguar a sua viabilidade, sem a qual o governo não pode continuar a alegar razões económicas para não o fazer, considerando que todas as outras ilhas do grupo são escaladas.
O vereador João Cunha disse ainda que de fato “há muito má vontade de resolver os problemas dos transportes marítimos para a Graciosa”, sendo lamentável que a ilha pertencendo ao Grupo Central, seja a única de fora da rota.
Os vereadores da oposição consideram ainda que a autarquia deveria ser ouvida, para que os horários não continuem a penalizar a Graciosa.




João Costa acusa governo de ter deixado Graciosa “para trás”

O deputado do PSD/Açores João Bruto da Costa responsabilizou Sérgio Ávila, vice-presidente do Governo com a tutela da coesão regional, pelos resultados da política do executivo açoriano na ilha Graciosa.
O deputado Graciosense disse que “falharam na coesão, não possibilitaram a criação de riqueza e emprego e fracassaram na fixação de pessoas, ou seja, deixaram-nos para trás”.
Para o parlamentar social-democrata açoriano, as consequências da receita socialista na Graciosa, que o executivo mantém neste Plano e Orçamento parta 2017 e nas Orientações a Médio Prazo 2017-2020, não obstante reconhecer o seu fracasso, estão à vista de todos na demografia da ilha, na Educação, na Economia ou nos Transportes.
João Costa lembrou que recentemente foi confirmada a “contínua exclusão” da Graciosa das rotas dos navios adquiridos pelos Açores para operarem no Grupo Central, situação que motivou um pedido de esclarecimento ao Governo pelo grupo parlamentar do PSD/Açores.





Paulo Cunha faz balanço positivo do mandato e confirma hipótese de recandidatura à Freguesia de Santa Cruz da Graciosa

Na Junta de Freguesia de Santa Cruz da Graciosa, Paulo Cunha está a terminar o seu primeiro mandato, do qual faz um balanço positivo.
O autarca assinala os investimentos e apoios às associações e entidades da freguesia, recuperação das habitações sociais, propriedade da autarquia e ainda o reforço na contratação, através dos programas de emprego.
A obra que se destaca deste mandato é a requalificação da zona balnear e de lazer do Barro Vermelho, como aquela que teve maior visibilidade.
Até ao final do mandato, prosseguem as obras nas habitações sociais e atribuição de uma moradia, situada no Bom Jesus, a uma família carenciada.
Na preparação da época balnear, serão realizados os habituais trabalhos de arranjo e limpeza, sendo que o Barro Vermelho será novamente alvo de intervenção, mas na zona da praia de bagacina, que será valorizada.
No final da entrevista, concedida a semana passada à Rádio Graciosa, Paulo Cunha deixou a hipótese de uma recandidatura à Freguesia de Santa Cruz, desde que a equipa queira continuar e continue a haver o apoio do partido.





Câmara de Comércio apresenta reclamação contra armadores

A Câmara de Comércio da Terceira, Graciosa e São Jorge vai apresentar reclamação à Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), entidade responsável pela regulação e supervisão da atividade da cabotagem insular, no quadro dos requisitos e obrigações de serviço público a que se encontra sujeito contra os armadores.
Em comunicado, a CCAH anunciou que “vem, de alguns meses a esta parte, a monitorizar esta atividade, e os resultados são um atentado à nossa economia, às nossas empresas”. Em Janeiro deste ano, “houve um atraso no cumprimento de chegada ao Porto da Praia da Vitória na ordem dos 46%” e no “mês de Fevereiro cerca de 60% das escalas definidas para o Porto da Praia da Vitória chegaram com atraso”, sendo que nesse mesmo mês registou-se o caso de um navio que não atracou no Porto da Praia da Vitória na semana de 27 de Fevereiro a 03 de Março”.  No decorrer deste mês de Março, até à data, “verifica-se um incumprimento de 100% nas datas previstas”, revela a Câmara de Comércio.





Turismo desceu no início de 2017

Em janeiro de 2017, nos estabelecimentos hoteleiros da Região Autónoma dos Açores (hotéis, hotéis-apartamentos, apartamentos turísticos e pousadas) registaram-se 58,4 mil dormidas, valor superior em 2,2% relativamente a janeiro de 2016.
 Em termos de variações homólogas acumuladas, em janeiro, as ilhas que apresentaram variações homólogas positivas foram as do Corvo, de São Miguel, do Faial, das Flores e de
Santa Maria, respetivamente com, 180,6%, 11,3%, 7,6%, 3,6% e 2,1% . Segundo do Serviço Regional de Estatistica, “as ilhas da Terceira, da Graciosa, de São Jorge e do Pico apresentaram uma variação homóloga acumulada negativa, respetivamente de 20,5%, 7,6%, 3,5% e 1,4%.”
Em Janeiro, os estabelecimentos hoteleiros da Graciosa registaram 859 dormidas, menos 71 dormidas que as registadas no mesmo mês de 2016.
No primeiro mês de 2017, a taxa de ocupação na Graciosa foi de 15,8%, a estada média de 2,4 noites e um rendimento de  32.328 euros de proveitos totais e 26.055 de proveitos por aposento.
Na restauração, os proveitos em Janeiro foram de 5.443 euros.





Manuel José Ramos e José Ávila afirmam que Graciosa não foi deixada para trás

Durante a discussão sobre a Graciosa, o deputado Graciosense, Manuel José Ramos, numa intervenção de bancada, defendeu a ilha Graciosa, afirmando que esta não “é apenas um território com falhas e muito menos uma ilha deixada para trás”, tendo sido alvo de uma evolução acentuada, quer ao nível da investigação, quer ao nível de investimentos em áreas como a agricultura, pescas e turismo.
Respondendo à acusação do deputado João Costa de que a coesão tinha falhado e que a Graciosa tinha sido “deixada para trás” pelo Governo Socialista, o deputado do PS eleito pela Graciosa explicou que a ilha Graciosa “tem um serviço de transporte aéreo que é bastante aceitável” e com uma ocupação na ordem dos 66%.
Outro assunto colocado em análise foi o da desertificação da ilha, ao que Manuel José Ramos explicou ser “uma situação que não é única” da Graciosa e reconheceu que apesar dos esforços das entidade públicas em inverter a situação, tal tarefa ainda não tem trazido resultados.
No mesmo debate, José Ávila, deputado socialista, recordou que a Graciosa, que depende quase inteiramente dos transportes aéreos, viu reforçada as ligações, passando de 450 voos no ano 2013 para um total de 636 ligações aéreas em 2016 de e para nossa ilha.
O deputado referiu ainda, sobre os transportes marítimos na Graciosa, que “o menos importante é a cor da linha do transporte”, mostrando interesse sobretudo pela qualidade do serviço que aquela empresa presta à Graciosa. José Ávila explicou que os toques da linha lilás concincidem, curiosamente, com os navios da linha amarela, referindo a existência de 77 toques, mais 3 do que em 2016, estando articulados com os maiores eventos programados para a ilha Graciosa, justificando que os Graciosenses estão “melhor servidos com as embarcações” dessa linha e que se o PSD estivesse realmente interessado em apoiar esta questão dos transportes, deveria apoiar a decisão da construção de um navio com mais de 100 metros, coisa que aquele partido, incompreensivelmente, não quer.





Deputado José Ávila garante empenho do PS em continuar a apoiar os pescadores

Nesta sessão plenária em que foi debatido o Plano e Orçamento para 2017 e as Orientações a Médio Prazo 2017-2020, que definirá as linhas estratégicas nas diversas áreas para os tempos mais próximos, o deputado José Ávila debruçou-se sobre o Programa 3, dedicado à Pesca e Aquicultura.
Esta área tem uma dotação de 26,1 milhões de euros, divididos por 5 projetos (Controlo, Inspeção e Gestão, Infraestruturas de Apoio às Pescas, Frota e Recursos Humanos, Produtos da Pesca e da Aquicultura e Regimes de Apoio e Assistência Técnica do Mar 2020), com um total de 27 ações, referiu o deputado Graciosense.
No final da sua intervenção, José Ávila disse que o PS reconhece que “ainda muito há a fazer nesta área especifica da economia Açoriana”, e garantiu que “enquanto subsistirem constrangimentos nas pescas, podem contar com o empenho deste Governo e desta maioria.”






Ricardo Ramalho destacou politicas para a juventude

Na Quinta-feira, o deputado do PS Ricardo Ramalho, analisou o documento na área na juventude, concluindo que se trata de “um documento ambicioso capaz de construir alternativas inovadoras e que dá resposta às grandes questões do presente preparando simultaneamente o futuro e a superação dos desafios com que a Juventude se depara.”
Do Plano de Investimentos para 2017, o deputado considera que sairão medidas “concretas que são transversais às várias áreas de governação e que vão ao encontro das expetativas dos jovens açorianos”, dando como exemplo, o apoio à mobilidade dos jovens, a continua aposta na educação para a cidadania, a implementação de todo o processo necessário para a criação do Orçamento Participativo Jovem dos Açores e o apoio ao associativismo juvenil e empreendedorismo jovem na Região, através do apoio aos planos de atividades das associações de jovens, e de programas de formação e do apoio a infraestruturas e equipamentos, enquanto estratégia de reforço da coesão social, da reconversão profissional e empregabilidade jovem, entre outras enumeradas por Ricardo Ramalho.
No final da sua intervenção, o deputado socialista referiu não ter duvidas que “estes são objetivos mobilizadores dos jovens, para fazerem face aos múltiplos desafios com que se deparam”.





Câmara Municipal participou na Gala de Abertura da Madalena, Cidade do Vinho

No passado Sábado, dia 11 de Março, a Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa marcou presença na “Gala de Abertura da Madalena, Cidade do Vinho”, evento realizado pela Câmara Municipal da Madalena do Pico.
A autarquia santa-cruzense foi representada pela Vice-Presidente Maria da Conceição Cordeiro, numa participação que o município entende de “grande importância, uma vez que a Ilha Graciosa é também uma ilha marcada pela atividade vitivinícola, que tem recentemente apostado na recuperação de vinhas, e considera este setor relevante para a promoção e desenvolvimento local.”
A Gala de Abertura da Madalena, Cidade do Vinho reuniu, no último sábado, centenas de convidados no auditório da Madalena, com representantes de 35 municípios de todo o país, representantes do governo regional dos Açores e demais parceiros da candidatura.
Com numero recorde de participações, desde a criação do evento pela Associação de Municípios Portugueses do Vinho, a gala de abertura da Madalena, Cidade do Vinho foi um sucesso estrondoso, fazendo do mais jovem concelho da ilha do Pico,o núcleo da vitivinicultura nacional, ao reunir algumas das mais importantes individualidades do sector na Madalena.










Twitter Facebook Favorites More