Traduzir

15 dezembro 2015

Graciosa registou maior rajada de vento mas sem grande destruição

O mau tempo que assolou o arquipélago durante o dia de ontem provocou apenas alguns estragos na Graciosa, sem gravidade, apesar da intensidade do vento que se fez sentir.
Segundo dados recolhidos junto da vice-presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa, as ocorrências registadas pelos serviços camarários foram de muitos ramos de árvores partidos, sobretudo na Praça Fontes Pereira de Melo, uma varanda, já deteriorada, que acabou por cair na Avenida Mouzinho de Albuquerque, que foi retirada da estrada pela autarquia e ainda pequenos estragos na cobertura do Pavilhão Municipal, que entretanto foram já reparados esta manhã.
Sabe-se ainda que houve pequenos estragos ao nível da cobertura e de uma porta do Centro de Processamento de Resíduos e algumas paredes que caíram, sendo de destacar uma situação nas Grotas, localidade da Ribeirinha e uma Canada na Freguesia da Luz, que ficou mesmo obstruída, mas cujos trabalhos de desobstrução estão quase concluídos.
As escolas da rede pública, bem como as instalações desportivas, reabriram esta Terça-feira, sendo que nas estruturas do parque escolar da Graciosa não há a registar danos provocados pelo mau tempo.
Os Bombeiros Voluntários não foram mesmo chamados para qualquer ocorrência, no âmbito do mau tempo.
Apesar destes estragos leves, a nossa ilha foi fortemente fustigada pelo mau e segundo a Delegação dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, até as 18 horas de ontem, a rajada máxima de vento, registada nas estações do IPMA, foi de 141 km/k na Graciosa, às 16 horas.

Na agitação marítima, a altura máxima de onda foi de cerca de 9 metros, registada pela bóia ondógrafo da Graciosa, por volta das 07h00 da manhã de Segunda-feira. 

Hoje é dia de trabalhos de limpeza e reparações para os serviços camarários, juntas de freguesia e obras públicas da ilha.

Twitter Facebook Favorites More