Traduzir

11 outubro 2018

Conselho de Ilha Graciosa dá parecer positivo à Anteproposta do Plano Regional Anual para 2019 mas pede reforço de verbas em algumas áreas

O Conselho de Ilha Graciosa reuniu ao final da tarde de Quarta-feira, para análise e emissão de parecer, da Anteproposta do Plano Regional Anual para 2019.
De acordo com o documento, para a Graciosa está previsto um investimento de 33.464.479,00 euros, no próximo ano.
Na análise ao documento, os conselheiros graciosenses viram como positivo o aumento do investimento em 1,3%, em comparação com 2018, mas vêem como preocupante a redução de verbas em algumas áreas.
É o caso do turismo, em que há redução de investimento na ordem dos 10%, que segundo Vítor Mendes, Presidente do Conselho de Ilha Graciosa, não vai de encontro àquilo que se pretende para a Graciosa, que é que a ilha se aproxime mais do crescimento turístico, que está a ocorrer no restante arquipélago.
As verbas para a rede viária, são segundo os conselheiros escassas, para o estado de degradação com que estas se encontram e o mesmo na área da habitação, pois a ilha necessita de reabilitação urbana e um incremento na habitação social.
Na saúde, o Conselho de Ilha Graciosa alerta que se continua a necessitar de consultas de especialidade, atendendo à população idosa e com poucos recursos económicos da nossa ilha.
A necessidade da abertura de incubadoras de empresas e um investimento na orla costeira que não pode parar com a conclusão da obra na Barra, pois há outras zonas da ilha muito vulneráveis, são outras preocupações do Conselho de Ilha Graciosa.
Vítor Mendes afirma que o Conselho de Ilha espera que o governo tenha em atenção estas preocupações e ficaria satisfeito se à semelhança do ano passado, houvesse o reforço de verbas em algumas áreas.
O montante destinado à Graciosa em 2019 divide-se em 14 programas, sendo o maior a agricultura com um valor de 11 milhões e 900 mil euros, seguindo-se o apoio às empresas e ao emprego, com verba de 7,8 milhões de euros.
Para o setor do mar a verba é de 3,3 milhões, já nos transportes é de 2,8 milhões, o turismo terá 1,2 milhões de euros e as pescas e aquicultura, 791 mil euros. Para investimentos nas estradas regionais, há uma verba de 243 mil euros, para a educação, cultura e desporto são 653 mil euros, na habitação 798 mil euros e na solidariedade social 248 mil euros.
As áreas com menor investimento são o ambiente e energia com 338 mil euros, proteção civil com 223 mil euros, a saúde com 143 mil euros e a juventude com 42 mil euros.

As grandes obras contempladas são a conclusão da proteção da orla costeira da Barra, construção da nova aerogare e da nova torre de controlo, conclusão do novo Matadouro, bem como a requalificação da Muralha da Praia e do Lar de Idosos de São Mateus.

Twitter Facebook Favorites More