Traduzir

21 dezembro 2016

Arranjos do centro histórico e nova tela para os pauis suscitam dúvidas dos vereadores do PSD

O executivo municipal de Santa Cruz da Graciosa reuniu Quinta-feira nos Paços de Concelho.
O ponto que gerou maior discussão e troca de ideias foi o último ponto, sobre a “melhoria da rede viária do centro histórico e zonas envolventes de Santa Cruz”.
Trata-se de um projeto que custa 645.700 euros, sem iva, que segundo a vice-presidente informou será apoiado quase na sua totalidade, “à exeção dos 15.000 euros referentes ao betuminoso”.
Os vereadores do PSD mostraram-se insatisfeitos por terem tido dificuldade em consultar o projeto em suporte digital, tendo João Cunha afirmado ter algumas duvidas sobre quantidades e medições, o que não lhe permite assinar “um cheque em branco”. O vereador alertou ainda que não devem ser usados materiais altamente corrosivos pelo salitre.
António Reis e João Cunha questionaram ainda sobre a tela dos pauis, nomeadamente se haverá um trabalho de base e que tipo de tela será usada, tendo o presidente da câmara esclarecido que se trata de uma tela com “mais qualidade e consistência”, tendo o projetista consultado até firmas estrangeiras sobre o assunto.
Ainda na discussão sobre este projeto, António Reis alertou que o que “assusta” é que não haja uma previsão especifica para cada caso, tendo João Cunha alertado que o problema “é técnico e de estabilização do fundo” dos pauis e que existem questões simples, mas que ninguém sabe responder, mas reconhece que a obra é necessária.
Posto à votação o projeto foi aprovado, com 3 votos a favor do PS e 2 votos contra do PSD.

Os vereadores do PSD apresentaram uma declaração de voto em que afirmam que o projeto é pouco claro, relativamente a aspetos técnicos de pormenor e omissões, mas embora reconheçam a necessidade da obra “não passam cheques em branco”. Os vereadores “estão a favor das obras”, mas não estão a favor que se gaste dinheiro “desnecessariamente”.

Twitter Facebook Favorites More